Trilha dos Cataventos (Tuia) – Revisitada

O período de final de ano, inicio de ano novo, é uma época muito festiva. Muita bebida fermentada, lautas refeições noturnas. Inevitavelmente quando participo destes jantares, tenho dificuldade de realizar no dia seguinte alguma atividade física. Havia programado sair ás 5h da manhã. Consegui fazê-lo somente ás 7h.

Não obstante, o trago mal curado que atrasou minha saída, meu planejamento também não foi o mais apurado. A intenção era percorrer o trajeto correndo. Acabei caminhando a maior parte deste. Levei pouca água, apenas um litro. Esqueci o par de meias reserva, assim como uma outra cueca, para o caso de molhar estes itens, poder trocar os mesmos, para evitar principalmente assaduras na virilha.

Cvento.Still007

Lá fui, em direção a Trilha dos Cataventos, já sob a luz do Sol e seus primeiros raios matinais. Este trecho inicial é fácil, em torno de 6~7km. Basicamente é cruzar a cidade de Tramandaí em direção a trilha.

Cvento.Still012

Logo na entrada da trilha, o efeito dos excessos se apresentam na forma de uma tremenda dor de barriga. Neste ponto metade da água que estava comigo foi utilizada.

O início da trilha é um terreno fácil de percorrer. Um pouco de areia, grama, chão batido. O único ponto a ressaltar são as imensas poças de água que ocupam toda a passagem. É impossível contornar as mesmas. É preciso molhar o pé. A dica é tirar o tênis e cruzar a poça com os pés descalços. Evitando molhar o tênis e a meia e assim evitar eventuais bolhas causadas pelo atrito do tênis molhado ao pé. Eu não fiz isso. Tentei cruzar saltando e obviamente não obtive sucesso. Molhei o pé. E pior, não tinha outra meia seca para trocar.

Cvento.Still013

Outra ponto negativo deste trecho inicial são os insetos. Uma espécie de “mutuca”, muito inconveniente, um bando delas tentava a todo custo extrair um amostra do meu sangue, para lhes servir de refeição.

Aqui neste trecho já se observa a proximidade dos cataventos (geradores eólicos). Somente mais alguns quilômetros, dois ou três e é possível estar próximo a eles. Creio não ser indicado se aproximar e tão pouco tocar nestes equipamentos, em função da eletricidade estática.

Cvento.Still014

Deste ponto em diante segui por uma das poucas áreas de dunas naturais que estão preservadas no litoral do Rio Grande do Sul. É E-X-T-R-E-M-A-M-E-N-T-E bonito este local. Dunas brancas, altas, de uma textura lisa que foram delicadamente talhadas pelo vento presente da região. Lindo demais.

Cvento.Still017

Mas a maior surpresa estava por vir. No cruzamento da área de dunas em direção a estrada/praia, encontrei uma lagoa de água doce, transparente, límpida, de pouco mais de 60cm de profundidade. Absolutamente fantástica. Uma pintura. Me senti no nordeste do Brasil,  Lençóis Maranhenses. Não resisti. Me atirei de corpo e alma.

Cvento.Still020

Estas lagoas, assim como as dunas, são móveis, e dependem dos ventos e das chuvas. Não sei quanto tempo esta lagoa vai ficar nesta localização.

Cvento.Still026

Que presente eu recebi!

Cvento.Still021

Finalizado meu revigorante mergulho, percorri mais alguns quilômetros. Cruzei a estrada, e iniciei o meu retorno ao ponto de partida. Mais 10 exaustivos quilômetros, sob um Sol escaldante.

Felizmente encontrei algumas notas de Reais dentro de minha mochila, que me permitiu adquirir mais uma porção de água.

#Dicas Finais

Leve boné, use uma camisa de manga longa com proteção solar. Leve pelo menos 2 litros de água. Leve um par de meias sobressalente. Uma cueca ou calcinha sobressalente, de acordo com sua preferência. GPS e pilhas sobressalentes. E obviamente muita, MUITA vontade.

Atenção que existem diversas propriedades particulares no entorno desta trilha. Neste caminho por mim percorrido, não saltei nenhuma cerca. Creio não ter entrado em nenhuma propriedade particular. Se o fiz, deixo aqui registrado o meu pedido de desculpas. Durante todo o meu trajeto, nada danifiquei e levei. Deixei apenas algumas marcas de pegadas, que agora o vento já deve ter apagado.

Minha virilha ficou com uma assadura gigantescamente dolorida!

RESUMO

29,56 Km

5h25 trajeto

1653 calorias queimadas

Dificuldade: difícil

MAPA

CventoMAP

Link para relato da Trilha dos Cataventos realizada em 2014.

Advertisements